O que se ensina nas escolas finlandesas

Nos seis primeiros anos da escola abrangente, as crianças são ensinadas por um professor da classe, que ministra praticamente todas as matérias. O ensino durante os últimos três anos da escola abrangente é efetuado por professores de matérias específicas. Os alunos também recebem instrução e ensino especial para distúrbios de fala e para problemas de leitura e escrita, ou necessidades especiais do género.

O currículo básico nacional para a educação básica, implementado em 2016, destaca o desenvolvimento de ambientes de aprendizagem. Além da sala de aula convencional, o ensino e estudo estão mudando cada vez mais para ambientes externos à escola: as aulas são ministradas ao ar livre e são feitas excursões a museus, empresas, etc. Os jogos e outros ambientes virtuais também estão entre os ambientes de aprendizagem. A importância da tecnologia está crescendo nas atividades diárias das escolas. São utilizados diversos métodos no ensino de todas as matérias.

  • Aprendizagem orientada ao problema, interação e tomada de responsabilidade

O currículo destaca competências abrangentes e transversais, bem como habilidades de interação e expressão. Às crianças e aos jovens é mostrado como assumir responsabilidade pelos seus estudos e definir metas, resolver problemas e avaliar o seu progresso na direção dessas metas. As experiências pessoais, emoções, interesses e a interação com os outros contribuem para criar os fundamentos para a aprendizagem. O professor orienta os alunos para tornarem-se aprendizes para toda a vida. A educação também presta atenção às habilidades do cotidiano e à capacidade dos alunos de cuidarem de si próprios.

As matérias da escola incluem o idioma e literatura finlandeses, outros idiomas, estudo ambiental, educação cívica, religião ou ética, história, estudos sociais, matemática, física, química, biologia, geografia, educação física, música, artes, trabalhos manuais e economia doméstica. As metas de ensino e o currículo básico são os mesmos no país inteiro, mas as autoridades e escolas locais elaboram o seu próprio currículo local com base nestas matérias.

  • Ênfase no estudo de idiomas

As escolas finlandesas enfatizam o estudo de idiomas estrangeiros. O primeiro idioma estrangeiro é introduzido no terceiro ano da escola abrangente, e o segundo idioma doméstico (sueco para os que falam finlandês, e finlandês para os que falam sueco) no sétimo ano, a menos que o aluno já tenha tido o segundo idioma doméstico no terceiro ano. Esses dois idiomas são o mínimo, e para além destes os alunos podem, dependendo da variedade oferecida pela escola, optar por vários estudos de idioma iniciados em diversos anos de forma a poderem estudar até seis idiomas diferentes até à conclusão do nível secundário. Os idiomas estrangeiros mais comuns estudados na Finlândia são inglês, alemão, francês, russo e espanhol.

Há imigrantes residentes na Finlândia com idiomas nativos que não o finlandês ou o sueco. As crianças dessas famílias recebem ensino especial em finlandês como segundo idioma. Se houver um número suficiente de crianças com o mesmo idioma nativo numa certa comunidade, o ensino nesse idioma é fornecido com fundos municipais duas vezes por semana. Em Helsinque, por exemplo, existem 2.600 crianças de origem estrangeira que recebem instrução em cerca de 40 idiomas diferentes. Também o português como língua nativa é oferecido aos estudantes residentes na área da capital. A proficiência das crianças na sua língua nativa é estimulada, já que promove o desenvolvimento, crescimento e auxílio na aprendizagem do finlandês.

  • O ensino de religião com o devido respeito aos valores familiares

A maioria dos finlandeses pertence à Igreja Evangélica Luterana, e os seus filhos frequentam o ensino sobre sua própria religião. Os membros de outros grupos religiosos também têm direito ao ensino sobre a sua própria religião se houver um mínimo de três alunos num grupo de estudo.

Os que não forem membros de um grupo religioso ficam isentos de ensino religioso. Em vez disso, estudam ética durante toda a sua carreira escolar, abrangendo ensino sobre ética, religiões e habilidades interpessoais.

  • O símbolo da juventude e da liberdade - o chapéu branco

No final do mês de maio quando os estudantes das escolas básicas começam as suas bem merecidas férias de verão, os finalistas do 12º ano recebem o diploma dos seus estudos e dos exames nacionais e põem na cabeça um chapéu branco com uma lira de ouro e um debrum de veludo preto.

 

Opções tanto para alunos como para professores

As opções aumentam à medida que prossegue a carreira escolar. Além disso, muitos municípios possuem escolas abrangentes de nível superior e secundário, com currículos mais fortes em matérias como música, artes ou desportos.

O corpo docente das escolas finlandesas é altamente instruído. As qualificações para todos os níveis escolares exigem um grau universitário ao nível de mestrado, inclusive extensos estudos pedagógicos e qualificações em matérias específicas.

O alto nível educacional dos professores permite-lhes planificar e selecionar as metodologias de trabalho de forma independente. O sistema escolar finlandês baseia-se numa cultura de confiança, não de controle, e os professores desempenham um papel ativo no desenvolvimento das suas atividades laborais. Com o seu próprio trabalho, estabelecem um exemplo de aprendizagem permanente.

 

Para obter informações adicionais: